Coluna Previna

Dra. Lourdes Coggo

Quando falamos em saúde da mulher, precisamos falar também da importância de receber imunobiológicos (vacinas). São várias as vacinas recomendadas para o público feminino nas diferentes fases da vida.

Na Adolescência, a vacina de HPV (papilomavirus humano) é recomendada para meninas a partir de 9 anos de idade. Este vírus pode causar câncer de colo do útero, vulva, vagina, ânus, boca e verrugas genitais, e é tão comum que ao longo da vida quase todas as pessoas serão infectadas por um ou mais de seus inúmeros tipos. As vacinas contra Hepatites A e B, bem como contra as Meningites tipo B e ACWY também entram na lista. Uma dose de reforço das vacinas contra Sarampo/Caxumba/Rubéola pode ser necessária em situações de risco, assim como a vacina DPTa (tríplice bacteriana acelular do tipo adulto).

Na fase adulta, recomenda-se às mulheres que se vacinem contra Hepatite e também contra as meningites dos tipos ACWY e B, pois, ao contrário do que se pensa, estas doenças não atingem exclusivamente as crianças. A Vacina DPTa, que protege também contra coqueluche, é indicada principalmente para as mulheres que tem contato com crianças pequenas, seja na família ou no trabalho (babás, professoras de escolas, creches, cuidadoras, profissionais da saúde).

A vacinação da gestante visa proteger a mãe e o bebe e o médico deverá fazer a avaliação de cada caso.

E para maior qualidade de vida da mulher mais madura, há recomendação para as vacinas contra Influenza, contra a Pneumonia (Pneumo 13 ou Pneumo 23), Difteria/Tétano (DT ou DPTa) e contra o Herpes Zoster. E, claro, os cuidados para uma vida saudável, dos exercícios à alimentação, continuam sendo fundamentais para melhorar a imunidade e promover o bem-estar.


Dra Lourdes Coggo
CRM 26492