O que a Vacina Pneumocócica 23-valente (polissacarídica) previne?

Doenças causadas por 23 tipos de pneumococos.
Trata-se de vacina inativada, portanto, não tem como causar a doença. É composta de partículas purificadas (polissacarídeos) das cápsulas de 23 tipos de Streptococos pneumoniae (pneumococo), cloreto de sódio, água para injeção e fenol.
Intramuscular.
O que previne?

O que a Vacina Pneumocócica 23-valente (polissacarídica) previne?

Doenças causadas por 23 tipos de pneumococos.
Do que é feita?
Trata-se de vacina inativada, portanto, não tem como causar a doença. É composta de partículas purificadas (polissacarídeos) das cápsulas de 23 tipos de Streptococos pneumoniae (pneumococo), cloreto de sódio, água para injeção e fenol.
Local de aplicação
Intramuscular.
VACINAÇÃO SEGURA

Entenda Sua Vacina

As Indicações e Contraindicações dão uma ideia de comportamento da vacina em questão, o que não isenta em buscar informação médica.

Indicação
Contraindicação
Para crianças acima de 2 anos, adolescentes e adultos que tenham algum problema de saúde que aumenta o risco para doença pneumocócica (diabetes, doenças cardíacas e respiratórias graves; sem baço ou com o funcionamento comprometido desse órgão; com problemas de imunidade, entre outras condições). Para pessoas a partir de 60 anos deve ser aplicada de rotina. Não é recomendada como rotina para crianças, adolescentes e adultos saudáveis.
Informe-se com seu médico ou ligue na Previna tel (19) 3212-0281 sobre eventuais contraindicações
FAQ

Questões Sobre Sua Vacina

Após sua vacinação, mesmo tendo recebido todas informações, algumas dúvidas podem surgir, consulte aqui as mais frequentes.

Cuidados antes, durante e após a vacinação
Não são necessários cuidados especiais antes da vacinação. Em caso de febre, deve-se adiar a vacinação até que ocorra a melhora. Compressas frias aliviam a reação no local da aplicação. Qualquer sintoma grave e/ou inesperado após a vacinação deve ser notificado ao serviço que a realizou. Sintomas de eventos adversos graves ou persistentes, que se prolongam por mais de 24 a 72 horas (dependendo do sintoma), devem ser investigados para verificação de outras causas.
Efeitos e eventos adversos
As reações adversas mais frequentes, que ocorrem com mais de 10% dos vacinados, são: dor no local da aplicação (60,0%), inchaço ou endurecimento (20,3%); vermelhidão (em 16,4%); dor de cabeça (17,6%); cansaço (13,2%) e dor muscular (11,9%). Reações locais mais intensas, com inchaço de todo braço, chegando até o cotovelo, hematoma e manchas vermelhas podem ocorrer em menos de 10% dos vacinados. Todas as reações adversas são mais frequentes após revacinação com períodos de tempo curtos. Acredita-se que estejam relacionadas com a presença de grande quantidade de anticorpos no organismo.
Resultados da prevenção no Brasil e no mundo